DEVA11 – Conheça o fundo de papel da Devant

DEVA11
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

O DEVA11 é um dos fundos de papéis mais novo da nossa bolsa, contudo, já tem despertado o interesse de vários investidores. Pois, tem entregue ótimos resultados.

Sendo assim, no artigo de hoje você irá conhecer em detalhes o fundo de recebíveis da Devant.

Mas antes disso, você conhece o novo FII de papel da Kinea? Clique aqui e confira.

Ainda mais, gostaria de informar que este artigo não trata-se de recomendação de compra, pois todas as informações contidas são meramente informativas.

guia de imposto de renda

O que é DEVA11?

O DEVA11 é o ticker (abreviatura) de negociação do Devant Recebíveis Imobiliários FII, ou seja, um fundo de papel. Desse modo, investe majoritariamente em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

Em resumo, o objetivo do fundo é auferir rendimentos e ganhos de capital através das aplicações em ativos financeiros com lastro imobiliário, basicamente com os CRIs.

O DEVA11 é um dos fundos mais novos da nossa bolsa, o seu IPO (Oferta Pública Inicial) foi em agosto de 2020. Ou seja, apenas um ano de existência.

A gestão do fundo é feita pela Devant Asset, uma gestora que quer replicar para o varejo (fundos listados na bolsa) a estratégia já utilizada pelos gestores em fundos exclusivos para investidores de grandes fortunas (não listados na bolsa).

Sendo assim, o cotista do Devant Recebíveis Imobiliários FII paga uma taxa de gestão de 1% ao ano e mais 0,20% ao ano de taxa de administração, feita pela Vórtx DVTM. Assim, resultando uma taxa de 1,20% ao ano.

Ainda mais, é cobrado uma taxa de performance de 10% do que exceder do CDI.

De acordo com o informe mensal de agosto, o fundo tem 44 mil cotistas. Para ter uma noção, em dezembro de 2020, o DEVA11 tinha apenas 2 mil cotistas, ou seja, um aumento aproximado de 2.100%. Um resultado bastante expressivo.

Além disso, é importante destacar o valor patrimonial e de mercado. O valor patrimonial é de R$ 1,07 bilhão e o de mercado é R$ 1,12 bilhão. Dessa forma, a relação P/VP é de 1,04, este indicador é muito importante para efetuar a compra de um FII de papel.

Talvez você goste: Como escolher um bom FII de papel?

Composição da carteira do Devant Recebíveis

Antes de efetuar a compra de um fundo imobiliário, é de extrema importância saber onde estão aplicados os recursos do FII. Sendo assim, neste tópico veremos como é a composta a carteira do DEVA11.

Então, a composição por ativo do fundo é da seguinte forma:

  • 76% dos recursos estão em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI);
  • 14% em caixa;
  • 10% em outros fundos imobiliários.

Dentre os fundos em que o Devant Recebíveis possui cota, destaco alguns: Papel – MCCI11 e VGIR11; Logístico – LVBI11 e Shopping – VISC11.

Em seguida, veremos como é a diversificação dos CRIs em relação aos indexadores e a subordinação.

Indexadores e Subordinação dos CRIs do DEVA11
Figura 1: Indexadores e Subordinação dos CRIs do DEVA11. Fonte: Devant.

Conforme a figura 1, a maioria dos Certificados dos Recebíveis Imobiliários estão indexados ao IPCA+10,15% (70%). Porém, tem uma parte significativa em outros indexadores, o IGP-M+11,66% (16%) e CDI+5,43% (14%).

Então, talvez você goste: IPCA o que é? Como é feito o cálculo?

Em relação à subordinação, as cotas estão da seguinte forma: Única (43%), Sênior (43%), Subordinadas (12%) e Mezanino (2%). Então, mas como funciona na prática? Veja abaixo:

As cotas únicas não há diferença de prioridade em relação ao pagamento, ou seja, não há subordinação.

Já as cotas sênior possuem preferência no recebimento com relação a todas as demais cotas. Em contrapartida, a cota sênior é a que apresentará a menor remuneração.

A cota mezanino é uma modalidade intermediária de risco.

As cotas subordinadas devem se subordinar às demais (sênior, mezanino) em relação ao recebimento de amortizações e juros. Em outras palavras, os detentores deste tipo de cota só receberão os rendimentos depois que os cotistas das outras classes receberem a sua parte. Todavia, é a cota com a melhor remuneração.

A duration do DEVA11 é de 2,51 anos e o LTV é de 43,8%.

DEVA11 dividendos

Certamente, algo que vem chamando a atenção do investidor são os dividendos do DEVA11.

Pois, o rendimento médio mensal nos últimos 12 meses é de R$ 1,35 por cota e um DY médio de 1,33%. E em relação ao acumulado foi distribuído em proventos o valor de R$ 16,25 e o DY é de 15,93%.

Outro fundo de papel que tem um desempenho que tem chamado a atenção dos investidores é o HCTR11.

Sendo assim, talvez você goste deste artigo: HCTR11 – Vale a pena investir?

O último dividendo pago pelo DEVA11 foi no dia 15 de setembro de 2021, no valor de R$ 1,45 por cota, representando um DY de 1,39%. O pagamento foi pago para os investidores que possuíam cotas do fundo até o dia 08 de setembro de 2021 (DEVA11 data com).

DEVA11 cotação

Neste tópico iremos analisar a cotação do DEVA11 desde o seu IPO. Para isso, iremos utilizar o gráfico do Google Finance.

DEVA11 COTAÇÃO
Figura 2: Cotação DEVA11. Fonte: Google Finance.

Conforme podemos observar na figura 2, o Devant Recebíveis Imobiliarios FII teve a sua estreia na bolsa com a cotação de R$ 147,00 (27/11/2020). Entretanto, no dia 17 de setembro de 2021, a cotação foi de R$ 102,00. Isto é, uma desvalorização de 30,61%.

Porém, o valor patrimonial por cota do DEVA11 é de R$ 98,07, ou seja, 4% acima do valor de mercado.

Todavia, é importante frisar que o foco quem investe em fundos imobiliários tem que ser na renda mensal distribuída.

Como investir em ações da Apple?

DEVA11 vale a pena?

Por fim, encerro o artigo com a seguinte pergunta: DEVA11 vale a pena?

Certamente, o fundo merece um estudo detalhado. A gestão tem feito um bom trabalho no curto prazo, pois, tem multiplicado consideravelmente o patrimônio do Devant Recebíveis e ainda a quantidade de cotistas.

Além disso, os rendimentos distribuídos tem o destaque em relação aos seus pares.

Todavia, o investidor precisa ter conhecimento dos riscos que o fundo apresenta. É justamente pelo seu risco que o retorno tem sido maior.

Desse modo, quer conhecer mais sobre o fundo? Fale com o RI do DEVA11, clicando aqui!

Contudo, volto a frisar que este artigo não trata-se de recomendação de compra.

E não esqueça de comentar lá no instagram o que você acha do fundo e aproveite e siga-nos (@ativonabolsa).

Muito obrigado pela atenção e até a próxima.

Um forte abraço,

Jefferson Dias (Ativo na Bolsa).

Então, gostou do Artigo? Compartilhe:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Talvez você goste dos artigos abaixo: