O que são ETFs americanos? Vale a pena investir?

etfs americanos
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Atualmente, o número de investidores brasileiros que estão alocando uma parte dos seus recursos no exterior vem aumentando. Portanto, esse número ainda é muito baixo. Contudo, muitos ainda não investem diretamente no Exterior e nem sabem como funcionam os ETFs americanos.

Antes de tudo, considero os ETFs nos Estados Unidos como a melhor opção de investimento no exterior.

Nesse sentido, o nosso artigo de hoje vai explicar de forma simples os seguintes tópicos:

  • O que são os ETFs americanos?
  • ETFs nos Estados Unidos x ETFs no Brasil
  • Quais os principais tipos de ETFs americanos?
  • Como ganhar dinheiro com os ETFs americanos?
  • Vale a pena investir em ETFs americanos?

O que são os ETFs americanos?

Os Exchange Traded Funds (ETF) são fundos negociados na bolsa de valores que replicam a composição de índices financeiros. Dessa forma, o ETF é composto por vários Stocks, REITs, títulos de renda fixa ou moedas, que atendam aos critérios do índice referenciado.

Nesse sentido, apresento algumas características principais dos ETFs são:

  • A preservação do patrimônio: Como as cotas são negociadas na bolsa, as cotas não mudam. Dessa forma, os valores e ativos que o fundo possui não precisam ser negociados;
  • Facilidade de acesso: Diferente dos fundos de investimentos tradicionais, os ETFs não têm valores mínimos para aplicação inicial, que é na casa de milhares. Ou seja, o valor mínimo é o preço negociado na bolsa. Podendo, ser comprado inclusive fracionado nas corretoras americanas. Com 1 dólar é possível.
  • Diversificação: Com apenas um ETF o investidor pode estar exposto a várias empresas, setores, países, moedas e mercados. Dessa forma, haverá a redução de riscos.
  • Economiza tempo: Não precisa analisar ação por ação e nem negociar esses ativos. O próprio ETF faz esse trabalho, basta apenas escolher o ETF que siga o índice mais adequado ao seu perfil.

ETFs nos Estados Unidos x ETFs no Brasil

Em resumo, as maiores diferenças entre eles são:

  • Alocação do dinheiro: Investindo em ETFs dos Estados Unidos o seu dinheiro estará realmente investido no exterior, diferente dos brasileiros que estarão ainda no Brasil.
  • Pagamento de dividendos: Os ETFs americanos pagam dividendos.
  • Taxas: O valor cobrado pela gestão nos Estados Unidos é muito inferior em relação ao Brasil.

Quais os principais tipos de ETFs americanos?

Antes de tudo, é importante conhecer os principais tipos de ETF para ver qual se encaixa melhor dentro do contexto da sua carteira de investimentos. Sendo os mais adequados para os seus objetivos.

Assim, os principais tipos são:

ETFs de ações

Eles vão desde ETFs que seguem índices amplos de ações do mundo inteiro para aqueles que investem em setores específicos da economia.

Portanto, dois pontos fundamentais devem ser vistos quando se trata de um ETF de ações:

  • Como o ETF seleciona as ações: Pela capitalização do mercado, estilo, setor, desenvolvimento, continentes ou países.
  • A forma que o ETF distribui essas ações na carteira: Pela capitalização de mercado, pesos iguais ou fórmulas próprias.

ETFs de renda fixa

Permite que o pequeno investidor tenha acesso ao mercado de Bonds a um custo menor.

Pois, como eles são negociados fora do mercado da bolsa, são mais caros e com uma liquidez menor, o uso de ETFs torna o investimento bem mais prático.

Em resumo, os Bonds são uma espécie de título de dívida, que são emitidos pelo governo ou por empresas privadas.

Semelhantemente aos ETFs de ações, os de renda fixa tem critérios para montar uma carteira de títulos de renda fixa, que são:

  • Mercado amplo: Este critério visa balancear os títulos de acordo com a sua participação no mercado com um todo;
  • Qualidade de crédito: Este critério é baseado no risco de crédito do emissor da dívida.
  • Duração e maturidade: O foco é selecionar títulos de acordo com a sua duração e prazo de vencimento.
  • Moeda e País: A escolha é feita entre países emissores e a moeda na qual a dívida foi emitida.
  • Fundos ativos: Nesta opção, existe um gestor que é responsável pela seleção, distribuição e negociação dos títulos da carteira. Sua rentabilidade depende da competência do gestor em encontrar o melhor mix dentro das regras do ETF.

ETFs de Commodities

Commodities é um outro mercado que se tornou mais facilmente acessível com o uso de ETFs. Antes desse advento, era um investimento complexo e disponível apenas para um grupo restrito de agentes e instituições.

Contudo, vale destacar que alguns fundos possuem efetivamente a commodity em estoque, como por exemplo alguns fundos de ouro, que mantêm as barras como lastro para as cotas.

Entretanto, há fundos que usam derivativos, como contratos futuros para tentar seguir a variação de preço da commodity em questão.

ETFs de moedas

Em suma, são ETFs que procuram ganhar a diferença na relação entre duas ou mais moedas.

Por exemplo, o dólar em relação ao Real, Euro, Franco Suiço, Libra Esterlina, etc.

ETFs Multi Ativos

É um tipo de ETF que busca um objetivo específico através de investimento em inúmeras classes de ativos.

Por exemplo, se o objetivo for renda, ele pode mesclar ações pagadoras de dividendos, REITs e bonds.

Como ganhar dinheiro com os ETFs americanos?

Basicamente existem três formas de ganhar com ETFs americanos.

Em primeiro lugar, o investidor pode ganhar com a valorização pelo ganho de capital. Só para ilustrar, o que é ganho de capital, veremos o exemplo abaixo em dólares:

Supondo que no ano de 2020 o investidor comprou uma cota do VOO por $ 296,00. E hoje, cada cota está valendo $ 346,00. Ou seja, o investidor teria um ganho de capital de $ 50,00.

Em segundo lugar, o investidor ganha com os dividendos recorrentes aos cotistas dos ETFs. Os dividendos normalmente são pagos trimestralmente.

Novamente, vamos usar o exemplo para ilustrar como acontece na prática.

Sendo assim, supondo que o investidor comprou uma cota de VOO no dia 03 de janeiro de 2020. Hoje, um ano após a primeira compra, este investidor teria recebido $ 5,28 de dividendos.

Em terceiro lugar, o investidor ganha pela valorização cambial. Como a moeda do Brasil é o Real e a dos Estados Unidos é o Dólar, existe essa valorização do dólar frente ao real.

Novamente, vamos usar o exemplo só para ilustrar essa valorização cambial.

Dessa forma, supondo que o investidor comprou uma cota de VOO no dia 03 de janeiro de 2020, com o dólar a R$ 4,07. E hoje, o dólar esteja R$ 5,45. Ou seja, o investidor teve uma valorização cambial de R$ 1,38 por dólar.

Então, essas são as três principais formas de como o investidor pode ganhar dinheiro com os ETFs americanos.

Vale a pena investir em ETFs americanos?

Os ETFs americanos são a melhor forma de investir no Exterior. Pois, o investidor pode ficar exposto ao mercado de renda variável e renda fixa de forma diversificada. E ainda mais, atendendo ao seu perfil.

Em conclusão, considero que vale a pena investir em ETFs americanos, pelo fato de expor o investidor a um mercado global, de várias moedas, de empresas gigantes e o principal ao meu ver, a economia de tempo e a diversificação que eles proporcionam.

Portanto, não quero dizer que a escolha individual de Stocks e REITs estejam descartadas. Ambos podem conviver em harmonia na mesma carteira, juntos com os ETFs.

Vale ressaltar que este artigo não se trata de indicação de compra e venda de ativos, a responsabilidade é de cada investidor.

E por fim, confira como investir no exterior e as opções existentes. Clicando aqui.

Muito obrigado pela atenção e até a próxima.

Um forte abraço,

Jefferson Dias (Ativo na Bolsa).

Então, gostou do Artigo? Compartilhe:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Talvez você goste dos artigos abaixo: